Paróquia de S. Tomé. 1944-

Zona de identificação

tipo de entidade

Entidade coletiva

Forma autorizada do nome

Paróquia de S. Tomé. 1944-

Forma(s) paralela(s) de nome

Forma normalizada do nome de acordo com outras regras

Outra(s) forma(s) do nome

identificadores para entidades coletivas

PST

área de descrição

datas de existência

1944-

história

Foi no ano de 1944 que, numa pequena vila ribatejana, num pátio na Rua Palha Blanco nº43-45 em Castanheira do Ribatejo e sob o entusiasmo do Doutor Luís César Rodrigues Pereira, se reuniram os primeiros crentes da futura Missão de S. Tomé. Juntou-se também o Pastor José Ilídio Freire, e deslocava-se propositadamente a Castanheira, o jovem Ramiro dos Santos para ensinar Escola Dominical, mas este viria a falecer prematuramente.
Para apoiar e dar continuidade a este recente trabalho, casou e fixou-se nesta vila, no ano de 1946, Joaquim da Silva Ribeiro e sua esposa Dª Gertrudes da Conceição Ribeiro, tendo sido inaugurado o primeiro templo na Rua Palha Blanco nº 64, a 20 de Junho deste mesmo ano. Nascia assim, a Missão de S. Tomé.
Desde os primórdios que a Escola Dominical, se transformou num autêntico “viveiro”, de onde saíram muitos jovens que viriam com entusiasmo a ajudar no trabalho evangelizador desta área do Ribatejo. Formou-se mais tarde, a então denominada Liga dos Samaritanos que, ao longo de pelo menos 20 anos, desenvolveu em S. Tomé uma benemérita acção social. Nas duas primeiras décadas, o trabalho foi desenvolvendo-se e crescendo com o contributo de vários servos de Deus, liderados pela visão, entusiasmo e dedicação, do então Bispo D. Luís César Rodrigues Pereira (sagrado em 24/06/1962), que apelidava esta congregação, de seu pequeno rebanho.
Por volta de 1951, esta Missão integrar-se-ia na Igreja Lusitana, mas só início da década de 70 se tornaria numa Paróquia autónoma.
Em 1974, chega o Revº António Pinto Ribeiro com sua esposa, que tinha estado como missionário em Angola, durante 25 anos.
Em 14 de Dezembro de 1980, Joaquim da Silva Ribeiro viria a ser ordenado ao diaconato pelo Bispo resignatário, D. Luís César Rodrigues Pereira e em 30 de Novembro de 1986, seria ordenado ao presbiterado, pelo actual Bispo Diocesano D. Fernando da Luz Soares (sagrado a 1 e Maio de 1980). Contudo, só em 22 de Abril de 1989, o Revº Joaquim da Silva Ribeiro viria a ser colado, como o primeiro pastor, da Paróquia de S. Tomé, onde serviu com vigor e dedicação, até à sua resignação, a 08 de Abril de 2001.
Entretanto, a 12 de Abril de 1987 a Paróquia de S. Tomé inauguraria no mesmo lugar, o actual templo.
Em 23 de Abril de 1989 e após um ano de vivência paroquial, ingressou na Igreja Lusitana, Maria Elisabeth dos Santos e Sena, que tendo liderado o Grupo de Jovens nos primeiros anos e pouco tempo depois, sido nomeada representante secular da Paróquia, viria a ser instituída leitora a 10 de Abril 1994 e ordenada ao diaconato a 01 de Novembro de 1997 (no primeiro grupo de mulheres ordenadas, da ILCAE).
Foi ainda, durante 3 anos, coadjutora do então pároco, Revº Joaquim da Silva Ribeiro e por sua aposentação, viria a ser colada como responsável paroquial desta comunidade, no domingo de Ramos, a 08 de Abril de 2001.
Actualmente, a Paróquia continua a desenvolver o seu trabalho, apostando na formação da Escola Dominical, no Estudo da Bíblia para jovens e adultos, na vivência da Liturgia da Palavra e dos santos Sacramentos, no trabalho com os jovens, na actividade social e pastoral (sobretudo nos últimos anos, no acolhimento e apoio a emigrantes), revelando assim, uma forte vivência comunitária, alicerçada no amor de Deus, nos ensinamentos de Jesus e na acção do Seu santo Espírito.
Humanamente, este trabalho só é possível, pelo incansável apoio e dedicação, dos leitores, Laudelina Camilo (1987), Sérgio Cabaço e Paulo Ferreira (1994), pelo Grupo de Jovens, pelos Professores da Escola Dominical e por uma activa Junta Paroquial…
Para além da recente formação de um Grupo de Louvor, a Paróquia conta com o seu próprio Boletim – A Mensagem, fundado pelo Grupo de Jovens, em Dezembro de 1982.
Damos graças a Deus por toda a comunidade, e desejamos e oramos, no sentido de conseguirmos passar o testemunho, e com fidelidade e alegria transmitir às novas gerações, o desejo de Louvar a Deus, Testemunhar de Cristo e Servir aos homens. Assim Deus nos ajude.
A responsável pastoral
Presbítera Dra Elizabeth Sena

Locais

Castanheira do Ribatejo (cidade, Portugal)

status legal

funções, ocupações e atividades

Mandatos/Fontes de autoridade

Estruturas internas/genealogia

contexto geral

Área de relacionamento

Área de pontos de acesso

Ocupações

Zona do controlo

Identificador do registo de autoridade

PT ILCAE PST

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Preliminar

Nível de detalhe

Mínimo

Datas de criação, revisão ou eliminação

16.12.16 (AV);

Línguas e escritas

  • português

Script(s)

  • latim

Fontes

Notas de manutenção

  • Área de transferência

  • Exportar

  • EAC