Mostrar 521 resultados

Descrição arquivística
Com objeto digital
Previsualizar a impressão Hierarchy Ver:

Caderno de registos dos benfeitores, exportadores de vinho do Porto

  • PT ILCAE ET/GF/TES/RB/005
  • Documento composto
  • 1950-1974
  • Parte de Escola do Torne

Caderno de registos dos benfeitores, exportadores de Vinho do Porto para a quermesse da Escola do Torne. Elaborado pelo ex-aluno da escola Custódio dos Santos, despachante de Vila Nova de Gaia, Devesas. Tem indicação do nome do benfeitor, morada, donativo e prenda (garrafas de vinho do Porto).

Escola do Prado

  • PT ILCAE EP
  • Fundo
  • 1901-05-01-1989-07-04

O fundo da Escola do Prado é constítuido pelas seguintes secções:
Secção COR: Constituição, organização e regulamentação; Secção GE: Gestão Escolar; Secção GF: Gestão Financeira

Escola do Prado. 1900-1989

Certificado de confirmação de Ana Fiandor

Certificado de confirmação da igreja do Redentor concedido a Ana Vilas Boas Ferreira Fiandor, assinado pelo ministro da congregação Frederic Flower e pelo Bispo Derry.

Igreja de Jesus

  • PT ILCAE IJ
  • Fundo
  • 1877-1959-03-02

A formação dos primeiros núcleos episcopalistas de Lisboa (comunidades de S. Paulo e de Jesus e congregação da Santíssima Trindade em Rio de Mouro, Sintra) ocorreu nos inícios da década de 70. Seriam, aliás, estes grupos que estariam na origem da Igreja Episcopal Reformada Portuguesa.
Quanto a J. Nunes Chaves, que fôra Capelão da Igreja da colónia italiana do Loreto, vem a fazer nesse ano e nessa congregação a sua nova profissão de fé,e funda, em Janeiro de 1877 a congregação de Jesus, na Rua de S. Marçal, em Lisboa. Efetivamente, a congregação de Jesus ocupava um espaço arrendado, havendo referência em 1884 à ajuda da Sociedade Auxiliadora para o respetivo pagamento.
Nos princípios de 1889, José Nunes Chaves deixou a congregação de Jesus e a I.L.C.A.E. para se juntar à Igreja Presbiteriana, instalada no antigo Convento dos Marianos em Lisboa, que então estava sem ministro. A congregação de Jesus ficou numa situação difícil, vindo até a ser proposto o seu encerramento por, anos mais tarde, continuar a ser servida pelos ministros de S. Paulo e S. Pedro e enfrentar problemas financeiros.
a 29 de Janeiro de 1913 os memebros desta Missão, situada já em Campo de Ouique, passou a denominar-se Igreja de Jesus. Deu-se conhecimento à Comissão Permanente da Igreja Lusitana, pedindo-lhe ao mesmo tempo que fosse reconhecida como novo ramo da Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica.
Depois de uma breve passagem por uma exígua casa na rua do Cabo instalou-se na rua Quatro da Infantaria, já com condições para a instalação de uma escola e igreja.

Igreja de Jesus. 1877-1959

Publicações da Igreja Lusitana

  • PT ILCAE PIL
  • Coleção ao nível de fundo
  • 1878-1993

Este acervo é composto por diversas publicações da Igreja Lusitana: História da Igreja Lusitana, Jubileu da Igreja Lusitana, Liturgia, Jubileu da Igreja Lusitana, Confirmações, Relatório do jornal "O Cristão Lusitano" e Relatórios gerais da Igreja Lusitana. Ecclesia. Trimestrário interprete do pensamento cristão orgânico. Orgão oficial da Igreja Lusitana, Católica, Apostólica, Evangélica.
This collection consists of several publications by the Lusitanian Church: History of the Lusitanian Church, Jubilee of the Lusitanian Church, Liturgy, Jubilee of the Lusitanian Church, Confirmations, Report of the newspaper "O Cristão Lusitano" and General reports of the Lusitanian Church. Ecclesia. Quarterly interpreter of organic Christian thought. Official body of the Lusitanian, Catholic, Apostolic, Evangelical Church.

Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica (Diocese). 1880-

Relatórios da Igreja Lusitana de 1883

Relatórios da Igreja Lusitana de 1883: Congregação da Santíssima Trindade (Rio de Mouro), gerentes para 1884; S. Paulo, gerentes para 1884; Igreja de Jesus (S. Marçal), gerentes para 1884; Igreja de S. Pedro, gerentes para 1884; Igreja Lusitana do Torne - Festa das Colheitas, escolas diárias, escolas noturnas, escola dominical, estudo de música, Sociedade de Socorros Mútuos, junta eleita para 1884, representantes do Sínodo, professoras e mestra infantil; Capela do Redentor (Porto); fundos paroquiais - receitas e despesas; quotas dos congregados da Igreja Lusitana; Igreja evangélica de S. Lázaro (Porto) - receitas e despesas; contribuintes da Igreja; Carta dirigida ao secretário do Sínodo da Igreja Lusitana, por Lord Plunket, bispo de Meath.

Relatórios da Igreja Lusitana de 1884

Relatórios da Igreja Lusitana de 1884: Sínodo; quantias reunidas pelas juntas paroquiais; Congregação da Santíssima Trindade (Rio de Mouro); Igreja de S. Paulo, gerentes para 1885; Igreja de Jesus, gerentes para 1885; Igreja de S. Pedro, gerentes para 1885; Igreja Lusitana - Torne, Festa das Colheitas, escola dominical, liberdade de culto, fundo dos pobres, Sociedade de Socorros, escolas diárias, receitas e despesas, junta de 1885, informações e conselhos à congregação; Capela do Redentor (Porto); fundos paroquiais; contribuintes da Igreja.

Relatórios da Igreja Lusitana de 1885

Relatórios da Igreja Lusitana de 1885: Comissão Permanente Diocesana; movimentos das congregações; Congregação da Santíssima Trindade (Rio de Mouro) - corpos gerentes para 1886; Igreja de S. Paulo - gerentes para 1886; Igreja de Jesus - gerentes para 1886; Igreja de S. Pedr - , gerentes para 1886; Igreja Lusitana - Torne, coro evangélico, Festa das Colheitas, distribuição de prémios, banco de artistas, fundo dos pobres, Sociedade de Socorros, receitas e despesas.

Relatórios da Igreja Lusitana de 1889

Relatórios da Igreja Lusitana de 1889: jornal "A Reforma" - Guilherme Dias, Congregação da Santíssima Trindade (Rio de Mouro) - corpos gerentes para 1890; Igreja de S. Paulo - gerentes para 1890; Igreja de Jesus - gerentes para 1890; Igreja de S. Pedro - gerentes para 1890; Igreja Lusitana - Torne - gerentes para 1890, aula diária, instrução secundária, Festa das Colheitas, relógio grande da torre, coro evangélico, cultos divinos, banco de artistas, receitas e despesas, gabinete de leitura, distribuição da sopa económica, reunião de costura para mães, festa escolar, conferência sobre o purgatório.

Relatórios da Igreja Lusitana 1895-1896_2ª parte

Relatórios da Igreja Lusitana 1895-1896: Colégio Evangélico Lusitano, subscrição da Igreja de S. Paulo, subscrição da Igreja de Jesus, subscrição da Igreja de S. Pedro, Igreja de S. Pedro (gerentes para 1896) receita, fundo dos pobres, despesa e contribuintes, Congregação de Jesus (gerentes para 1896), Igreja da Santíssima Trindade Rio de Mouro (gerentes para 1896), Igreja S. João Evangelista (gerentes para 1896).

Relatórios da Igreja Lusitana 1897-98_5ª parte

Continuação dos relatórios: Igreja do Redentor (relatório de 1898), Junta Paroquial (1899), Igreja do Bom Pastor - 1898 - batismos, casamentos, enterros, receita e despesa, Escola do Bom Pastor (1898), Capela e Colégio da Santíssima Trindade em Rio de Mouro (relatório de 1897-98), Missão e Colégio da Igreja Lusitana em Setúbal (1897-98).

Relatórios da Igreja Lusitana 1906_2ª parte

Relatórios da Igreja Lusitana 1906_2ª parte: contribuintes do fundo paroquial de 1906; fundo dos pobres; Igreja de S. João Evangelista - junta paroquial 1907; Escola do Torne; Movimento da Igreja de 1906; receita e despesa; Sociedade Evangélica de Socorros Mútuos de Gaia.

Relatórios da Igreja Lusitana 1909_2ª parte

Continuação dos relatórios de 1909: igreja de S. Pedro - Lisboa - escola para crianças, por Josué Silva; fundo paroquial de 1909; Igreja de S. João Evangelista - gerentes para 1910; relatório das escolas do Torne e do Prado.

Relatórios da Igreja Lusitana de 1911_5ª parte

Continuação dos relatórios de 1911: carta de José Pereira Martins; fundo paroquial e fundo dos pobres da igreja do Espírito Santo de Setúbal; comissão administrativa e fundo da Missão da Madalena - Armando Pereira de Araújo; Missão de Oliveira do Douro - por José Leite Bonaparte; Missão Evangélica da Rua do Cabo - Lisboa.

Uma espécie de relatório do 1º ano

Relatório da Igreja Lusitana da publicação periódica "O cristão lusitano", órgão da igreja com direcção de Joaquim dos Santos Figueiredo, bispo-eleito, redactor principal Armando Pereira Araújo e administração de André Cassels e Frederic Flower.
Este relatório tem a prestação de receitas e despesas do primeiro ano.

Ecclesia - Ano 1 - Nº4

Ecclesia - Ano 1 - Nº4 - sumário: cautela com as crianças; reminiscências e perspectivas; a Igreja e sua responsabilidade - Lorde Arcebispo de Armagh; florilégio da oração; no a´terio, na nave; hino triunfal; lauda poética: praia da vida e sacríficio inútil; missionística, Ch. Périr; No lar: carta dum bolseiro; na seara; programa da Conferência de janeiro.

Resultados 331 a 360 de 521